Pontas, Quinas e Beiradas

quarta-feira, 2 de março de 2011

Desculpe-a... a culpa nao é dela.

Desculpe-a se após a chuva ela trocou de roupa,
desculpe-a se durante a noite ela nao te procurou.
Desculpe-a se nas cartas que ela escreve, ela nao se refere a você.
Desculpe-a se o amor que exitia nao mais lhe pertence.
Essa noite ela pensou, deitou e sonhou.
Mas foi só por que ela estava sozinha.
desculpe-a se ao crescer ela te esqueceu,
desculpe-a se o amor dela por você morreu.
desculpe-a mas foi você quem a deixou crescer assim.

Essa noite, depois da chuva, ela foi pra varanda e lhe viu abraçando-o,
como ela queria estar no lugar dele.
esta noite, ao desligar o telefone, ela leu a última mensagem...
como ela queria que tivesse sido pra ela.

Desculpe-a se ela nao te chama mais,
desculpe-a se ela nao te liga mais.
desculpe-a se ela tenta fugir de você.
Mas foi você quem a deixou crescer assim.

Desculpe-a se ela se apaixona facilmente,
desculpe-a se ela esquece mais fácil ainda.
Desculpe-a se ela faz todos sofrerem, inclusive você.
Mas ela nao pediu pra crescer assim.

Um comentário:

Erick Sam disse...

Ótimo.....me lembrou muito de uma doida que ja passou pela minha vida....

http://mysolitudewords.blogspot.com/

http://carolcabelosvermelhos.blogspot.com/